Armário cápsula,  Slow fashion

Projecto 333 – Atualização do desafio de armário cápsula experimental

No dia 1 de Abril de 2019 decidi desafiar-me e aderir ao Projecto 333, um desafio de armário cápsula experimental no qual escolhemos 33 peças para usar durante 3 meses. Com 2 meses e alguns dias deste desafio, quero partilhar contigo algumas coisas que já aprendi.

No primeiro artigo sobre o Projecto 333 que escrevi aqui no blogue – que podes ler aqui – expliquei-te em que consistia este desafio de armário cápsula experimental e falei-te do meu plano. Sabia à partida que o desafio não iria ser perfeito porque o meu armário é um reflexo de muitos anos de compras inconscientes, por impulso, o que se traduz em peças que nem sempre combinam umas com as outras. Independentemente disso, queria fazer na mesma o desafio como preparação para um primeiro armário cápsula (que não é tão restritivo) e achei que este era o momento ideal.

O meu plano para os 3 meses era:
  • Usar apenas os 33 itens que escolhi
  • Descobrir se as peças que escolhi vão para o meu armário cápsula
  • Identificar possíveis lacunas, ou seja, peças em falta
  • Criar uma wishlist
  • Divertir-me no processo

Com o evento da Fashion Revolution e o meu aniversário pelo meio, para não falar nos extremos de temperatura que temos tido, não consegui manter as 33 peças que escolhi originalmente.

Peças que acrescentei

Acrescentei uns brincos feitos com reaproveitamento de plástico feitos por duas meninas super simpáticas – a Joana e a Nicol – que têm um projecto fantástico chamado Collective Changes no âmbito do qual reaproveitam tampas de plástico para lhes dar nova vida, neste caso, para criar bijuteria (podes ver o trabalho que fazem aqui).

Acrescentei ainda umas sapatilhas Stan Smith que os meus pais me ofereceram. Andava com umas sapatilhas de uma marca sustentável debaixo de olho, mas agora que tenho estas quero aproveitá-las e estimá-las ao máximo e não faz sentido estar a comprar mais nenhumas para já. Por fim, acrescentei também um vestido da marca portuguesa e sustentável Näz que o meu namorado me ofereceu porque… não tinha como esperar!! É uma marca que sigo há imenso tempo e que admiro e assim que vesti esta peça vi que era a minha cara, por isso não podia não a incluir no meu armário.

Peças que não usei e retirei do armário

Embora tenha pensado bastante nas peças que deveria incluir no desafio, a verdade é que me apercebi de que tinha escolhido algumas peças que não estava a usar e, como tal, não queria incluí-las num futuro armário cápsula. De seguida, mostro-te que peças retirei e que destino lhes dei.

  1. Top branco étnico – Levei para o swap market na Fashion Revolution Week
  2. Camisa de ganga (cavas) – Levei para o swap market na Fashion Revolution Week
  3. Top cropped preto manga 3/4 – Vou tentar vender/dar a alguém/trocar num swap market
  4. Casaco imitação de pele preto – Vou tentar vender/dar a alguém/trocar num swap market

Estou também a pensar retirar as botas pretas do armário e a camisola de gola alta camel porque, em princípio, as temperaturas para este último mês do #ladyingreen333 são mais quentinhas (ninguém diria, a julgar pelo dia de hoje…) e prefiro ter mais opções de partes de cima. Retirei também um top bege porque tem uma nódoa que não estou a conseguir tirar e quero pensar com calma em como posso resolver a situação.

Concluindo, acrescentei três peças e retirei até ao momento 6 (já incluindo as botas e a camisola camel), pelo que vou escolher umas peças mais frescas para este último mês do desafio.

Relativamente às possíveis lacunas do meu armário, sinto falta de algumas peças mais básicas que possa usar com grande parte das peças que tenho no meu armário. Neste momento estou a criar uma whishlist para ir registando as peças de que preciso e possíveis marcas onde poderei adquirir essas peças.

Com todas estas trocas e baldrocas, aprendi:
  1. A não pensar que vou fazer tudo perfeito à primeira. Eu já sabia que o meu armário não era perfeito e optei por fazer o desafio na mesma, pelo que o mais natural era ter de fazer algumas substituições pelo meio e isso não tem qualquer problema.
  2. A relativizar e divertir-me com o processo sem sentir que estou a falhar. Reduzir o meu armário a 33 peças não foi nada fácil, por isso tenho de celebrar isso e lembrar-me de que ter o armário ideal, alinhado com os meus valores, vai ser um processo de tentativa e erro e isso vai ajudar-me a tomar decisões mais maduras e conscientes.
  3. A eliminar distrações e tentações que me desviem do objectivo. Nem sempre bem-sucedida (hello aos brincos feitos a partir de plástico!), mas tentei eliminar distrações, quer arrumando em caixas todas as peças que não escolhi para este armário cápsula, como anulando subscrições de marcas e fechando os olhos às novas colecções das marcas que admiro.
  4. Que fazer este desafio de armário cápsula experimental com outras pessoas é muito mais fácil. A Dora do newUproject também alinhou no desafio e tem partilhado imensos looks com as peças que escolheu (segue-a no instagram aqui para acompanhar todos os looks). Também há várias meninas a fazerem o desafio e a partilharem os seus looks no grupo do Facebook sobre Armário Cápsula, por isso pede para aderir e deixa-te inspirar!
  5. Que ter um armário mais minimalista e funcional é definitivamente a minha praia.

 

Depois destas pequenas modificações, vamos lá enfrentar o último mês do desafio! Gostavam que vos mostrasse a minha whishlist?

Se gostaste de ler este artigo, guarda-o no Pinterest.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *