Moda sustentável,  Slow fashion

Slow fashion vs Moda ética vs Moda sustentável

Slow fashion, moda ética, moda sustentável ou ecológica… Estes são alguns dos conceitos que vais encontrar quando falamos de moda consciente.

Será que estes conceitos querem dizer a mesma coisa?

A verdade é que estes conceitos às vezes sobrepõem-se e fica difícil distingui-los.

Por isso mesmo, achei importante escrever este artigo no qual te explico melhor estes três conceitos (com direito a algumas dicas!).

Slow fashion

Tal como já te expliquei no artigo O que é o movimento slow fashion, slow fashion significa cuidar de todo o ciclo de vida de um produto, desde o momento em que é concebido, as matérias-primas, produção, cadeia de distribuição, até chegar ao consumidor e à eliminação no fim de vida. Todos os intervenientes são importantes e tidos em consideração neste processo. É uma forma consciente e intencional de olhar para a indústria da moda.

Lê também o artigo “O que é o movimento slow fashion?”

Moda ética

A moda ética diz frequentemente respeito aos direitos humanos e dos animais. Está relacionada com as condições de trabalho, salários justos, tratamento digno e diz NÃO ao trabalho infantil.

Moda sustentável

A moda sustentável, ou moda ecológica, está associada ao impacto ambiental, à escolha de materiais e fibras orgânicos, reciclados, à não utilização de químicos e corantes nocivos, à redução do consumo/desperdício de água e energia, ou seja, à escolha de opções que tenham o menor impacto ambiental possível.

Enquanto consumidoras, está nas nossas mãos escolher o que consumimos. Como sabes, ultimamente tenho-me esforçado por questionar os meus hábitos de consumo e ser uma consumidora mais consciente e, como sei que às vezes pode ser difícil dar o primeiro passo, deixo aqui algumas dicas para que também tu possas fazer escolhas mais conscientes.

Dicas para um consumo mais consciente:
  • Reduz o teu consumo

Não sou apologista de fundamentalismos, mas para que sejas uma consumidora mais consciente é importante que reduzas a quantidade de peças que compras e penses bem naquilo que efectivamente compras, o que me leva à dica n.º 2.

  • Sempre que pensares comprar uma peça, pergunta isto a ti mesma:

– Preciso mesmo desta peça?

– De que material é feita?

– Onde foi produzida?

– Tem qualidade?

– Quantas vezes a vou usar?

– Que sentimento me transmite esta peça?

  • Depois de comprares, cuida da peça o melhor possível:

Se acrescentaste uma peça de roupa ao teu guarda-roupa, está na hora de cuidar dela da melhor forma possível para que dure muito tempo e cries muitas e boas memórias com ela!

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *