Moda sustentável,  Slow fashion

Fashion revolution – Sabes quem fez as tuas roupas?

Enquanto consumidora, tens um poder incrível nas tuas mãos não só de apoiar marcas com práticas mais sustentáveis mas também de questionar as tuas marcas favoritas e pedir-lhes mais transparência nas suas práticas.

A procura de mais transparência na indústria na moda é, de resto, um dos objectivos da Fashion Revolution. A Fashion Revolution começou após o colapso do prédio Rana Plaza no Bangladesh onde morreram mais de 1000 pessoas e onde estavam sediadas 5 fábricas de roupa. Com a Fashion Revolution Week – celebrada entre 22 e 28 de Abril – pretende essencialmente que haja mais transparência relativamente às práticas das marcas, aos locais onde as peças de roupa que vestimos são feitas, a toda a cadeia de fabrico e distribuição.

Como podes fazer parte da Fashion Revolution Week

 

Especificamente nesta semana – de 22 a 28 de Abril – podes aderir ao movimento tirando uma selfie com a etiqueta da peça de roupa virada para fora e publicando nas redes sociais utilizando a hashtag #whomademyclothes. Juntas somos mais fortes e se todas fizermos isto, acredita que faz a diferença. Não é por acaso que se vêem cada vez mais marcas a lançar colecções de tecidos mais sustentáveis. As marcas têm noção que os consumidores estão a ficar cada vez mais exigentes e começam a fazer alterações para ir ao encontro daquilo que nós estamos à procura.

Para além disto, foram criados vários eventos em Lisboa e no Porto para assinalar esta semana nos quais podes participar (podes consultar os eventos aqui):

Lisboa – GATE 67 (NOW_Beato)
Porto – OPO’Lab

Dia 27, pega em algumas roupas que já não usas e participa no Swap Market, um mercado de trocas que te permite dar uma segunda vida às peças que tens no armário e trazer contigo outras peças para renovares o teu guarda-roupa sem pagar absolutamente nada.

Para além do Swap Market, tens também:

  • Ignite Talks
  • Workshops
  • Exibição de documentários
  • Transparency Fair
  • Speed dating

Os eventos destinam-se a nós consumidoras mas também às marcas. Com a Transparency Fair e o Speed dating, as empresas são desafiadas a conversar contigo e a mostrar-te o seu negócio e processo de produção, promovendo o consumo consciente! Eu vou estar no Porto e estou encarregue do speed dating, e conto contigo para que seja um sucesso, OK?

Embora seja importante participares nestes eventos, não é só durante esta semana que podes vestir a tua capa de revolucionária e fazer pequenas mudanças para um mundo mais sustentável. Podes e deves adoptar um consumo mais consciente e, para tal, dou-te 3 dicas já de seguida para começares a tua jornada na slow fashion. Se não sabes como fazer nem por onde começar, adopta estas dicas super fáceis e estarás no caminho certo.

Lê também o artigo “O que é o movimento slow fashion”
3 dicas para fazeres compras mais conscientes
  • Compra menos e melhor

Este é, para mim, o grande mote da slow fashion e foi precisamente por aqui que comecei. Reduzir o teu consumo, comprar menos e escolher melhor, seja peças de melhor qualidade e/ou peças de marcas mais sustentáveis e que se preocupam com quem faz as nossas roupas, são passos fáceis e simples que podes implementar já. Sempre que quiseres comprar algo, reflecte sobre a necessidade de teres essa peça, se a vais utilizar no mínimo 30 vezes e se estás disposta a cuidar dela para que dure o máximo possível.

Lê também o artigo “Como fazer compras mais conscientes em 6 passos”
  • Apoia marcas locais e sustentáveis

Ficarías surpreendida com o número de marcas portuguesas que adoptam a sustentabilidade na sua génese, que dão valor à transparência e que valorizam todas as pessoas envolvidas no fabrico das suas peças (prometo que em breve vou começar a mostrar-te algumas marcas para que conheças alternativas e possas tomar decisões mais informadas quando fizeres compras!). Agora, com as redes sociais, é super fácil conhecer as histórias e os valores de cada marca. Para além disso, podes falar directamente com as marcas, fazer perguntas e sugestões. Na minha experiência em comprar de marcas nacionais e sustentáveis, o que mais gosto é o contacto directo com a marca, a preocupação em satisfazer os meus pedidos (por ex., não incluir plástico na embalagem de entrega), a preocupação em esclarecer todas as dúvidas que coloco. Muito dificilmente consegues esta atenção e dedicação com marcas de maior dimensão.

  • Vê as etiquetas

Quantas vezes olhas para as etiquetas quando vais comprar uma peça de roupa? Spoiler alert: é a primeira coisa que faço quando vejo uma peça de que gosto! As etiquetas permitem-nos saber essencialmente onde a peça foi feita, o material de que é feita (opta sempre que possível por materiais naturais) e os cuidados que deves ter para prolongar a sua vida útil.

A Fashion Revolution está aí à porta e conto contigo para fazeres parte da revolução. Seja tirando a selfie com a marca da tua peça de roupa à mostra, participando nos eventos criados especialmente para ti ou seguindo as dicas que partilho contigo aqui no blogue, a tua voz é importante.

Já conhecias a Fashion Revolution? Já implementas alguma destas dicas? Conta-me tudo nos comentários.

Se gostaste de ler este artigo, guarda-o no Pinterest.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *